3.5.16

#ANDER RESPONDE: BAIXO CUSTO = ♥

Agora vamos à prática?
Um grande desafio nos dias de hoje são fotos de produtos com baixo custo. Já falei sobre isso aqui, mas agora vou mostrar o que realmente é baixo custo.
Surgiu a necessidade de fotografar algum tipo de produto e você não tem todo o equipamento “profissional” para fazê-la? Porque não usar o que você tem em casa mesmo?
Na primeira foto, um making of de como a foto foi feita.


Vamos a descrição dos equipamentos:
1 – Luminária de Emergência (R$ 14,90 ou pode ser qualquer outra fonte de luz)
2 – Folha de papel branca ou da cor que preferir (comprei em uma gráfica, paguei R$ 1,50 cada folha)
3 – Produto
4 – Folha de papel vegetal (pode ser aquelas que vem na embalagem de calçados)
5 – Câmera Sony DSC W310
6 – Tripé (quem não tiver tudo bem, apoia na mesa ou segura com a mão mesmo)
A “mesa” é a incrível banheira do meu filho. Para prender a folha de papel na parede, usei fita crepe daquelas mais baratas mesmo.
Usei a câmera da minha esposa pra mostrar que com um pouco de dedicação pode ser feito sim uma boa foto. A câmera é antiga, barata e sem nenhuma opção de controle, ou seja, automática!



Usei dois produtos para fazer as fotos, um, extremamente simples, uma miniatura de um carro, que quase não reflete a luz e é muito simples de fazer, e o outro, uma embalagem de batom, dourada, muito reflexiva e bem mais complicada de fotografar.
Porque mais complicada, pelo simples fato de tudo o que “aparecer” na cena, vai ser refletido na embalagem, aí talvez seja a grande sacada da fotografia de produto, os reflexos! Vamos analisar ela primeiro:


As imagens que saíram da câmera não me deram muita qualidade, justamente pela qualidade da câmera que foi usada, mas o propósito é exatamente esse, mostrar que com pouco, vocês podem sim produzir boas fotos.
Percebam que não há reflexo desnecessário na embalagem, não tem os outros elementos do quarto do meu filho (brinquedos, móveis, etc), não tem reflexo da fonte de luz (como é led, provavelmente apareceria pontos luminosos na embalagem), enfim, tudo beleza!
Isso se dá porque usei o papel vegetar na frente da luz, isso tira um pouco a intensidade da luz, ou seja, você perde pouca coisa de iluminação no objeto, mas em compensação, elimina a distração dos pontos luminosos, bem como suaviza a sombra em baixo do produto também.
Outro ponto que pode ser observado é logo acima do nome do produto, temos uma linha preta, fazendo o contraste da embalagem, “embelezando” mais o nosso produto e dando definição e profundidade a ele.
Vamos ao próximo produto:


Muito mais simples e muito mais fácil, a técnica de iluminação foi a mesma, o papel na frente da fonte de luz. Mas como nesse caso não precisava me preocupar com os reflexos, já que só temos reflexo no vidro da miniatura, me preocupei muito mais em iluminar o produto de uma forma mais homogênea. A grande vantagem de uma fonte de luz contínua (luminárias, lâmpadas ou todas as luzes que ficam acesas continuamente) é justamente a facilidade de controlar sombras e onde será e não será iluminado. Grandes profissionais da fotografia de produtos utilizam flash como fonte de luz, sendo assim necessário muito mais técnica para fazer a foto, pois você precisa conhecer a fonte de luz, o modificador e, principalmente, como a luz vai se comportar.

Vamos praticar?

O próximo post vou mostrar como é feita uma fotografia publicitária, desde a sua captura, passando pela edição e a finalização da imagem. Sim! Estou muito ansioso por esse post.

Beijos iluminados e até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário

 
voltar para o topo mufev © 2016 :: design + código gabi melo